CadastroENTRAR
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado
Volume
Áudios
App Android
App IOS
Facebook Capital
Instagram Capital
YouTube Capital
Whatsapp Capital

NOTÍCIAS - Cidade

Segunda-feira, 14/09/2020 15:44
Por Vânia Valfogo

Crianças alegram dia de idosos em asilo na pandemia

A professora pediu que eles escreverem cartinhas para alegrar o dia de idosos que estão em um asilo da cidade e não pode sair.



“Eu fiz essa cartinha pra alegrar o seu dia… Se estiver lendo de dia, que seu dia fique alegre. Se for à tarde, que ela fique colorida. Se for à noite, que tenha bons sonhos”.

Esta é uma das cartinhas que alunos da 6° e 8° séries mandaram para o Lar Dona Conceição em Ribeirópolis, Sergipe.

Eles são do Colégio Paraíso Cultural e fizeram a boa ação como matéria de português, para praticar “o gênero textual carta, que hoje quase não é utilizado, já que vivemos numa era digital e optamos pelo envio virtual de mensagens”, explicou a professora Letícia Santos.

Letícia, que tem 21 anos e se formou este ano, teve a ideia porque percebeu que os alunos ficaram curiosos sobre a forma como os textos de cartas são escritos e enviados. Aí ela resolveu unir o útil ao agradável.

A professora pediu que eles escreverem cartinhas para alegrar o dia de idosos que estão em um asilo da cidade e não pode sair, nem receber visitas por causa da pandemia.

“Queríamos levar alegria aos idosos que estão sem receber visitas. As mensagens, nas cartinhas, eram de carinho”,  contou Letícia.

A entrega

Os alunos adoraram a ideia e os idosos também.

As cartinhas foram entregues na última quinta, dia 9, pela tia da professora, que trabalha no asilo da Serra do Machado.

“Minha tia que entregou. Eu não participei da entrega, nem os alunos, porque eles não estão podendo receber visitas. [Os idosos] Ficaram muito emocionados e felizes”, comemorou a professora.

“As gerações passadas, que carregam consigo tantos aprendizados, precisam do nosso amor e cuidado. E foi isso que quis enviar, junto às cartas. E esses sorrisos estão lindos demais para ficarem guardados”, justificou.

Os textos

A professora disse que nem precisou corrigir os textos.

“A cada carta recebida para correção, eu ficava encantada! Corrigir o quê? Corrigir a doçura das crianças e a esperança que eles/as depositavam em suas palavras? Não tinha o que corrigir. Eu era quem tinha que ser corrigida por, diversas vezes, achar o mundo cruel demais”, afirmou.

Nas cartinhas, Letícia teve contato com a bondade das crianças.

“Toda vez que olho para os textos, noto que há muita bondade na Terra, e precisamos sempre fazer com que isso não se acabe. As gerações futuras podem salvar a nossa sociedade, especialmente da maldade”, concluiu.

Veja algumas cartinhas, a alegria dos idosos e como é preciso pouco para alegrar o dia de alguém:


 

  



Fonte: Só noticia boa





Tags: 
Facebook Instagram YouTube Whatsapp App Android App IOS
® 2020 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados