CadastroENTRAR
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado
Volume
Áudios
App Android
App IOS
Facebook Capital
Twitter Capital
Instagram Capital
YouTube Capital
Whatszap Capital

NOTÍCIAS - Memória

Quarta-feira, 24/07/2019 08:02
Por Luiz Carlos Ramos

O rádio perde Juarez Soares

O grande jornalista faleceu aos 78 anos, em São Paulo

OUÇA




O rádio e a TV do Brasil perderam nesta terça-feira, 23, um dos seus melhores jornalistas esportivos de todos os tempos: Juarez Soares. Ele faleceu aos 78 anos, em São Paulo, em consequência de infarto, quando lutava bravamente em tratamento contra o câncer, encerrando uma carreira brilhante de 61 anos, tendo atuado em quase todas as principais emissoras do País. Seus últimos trabalhos foram na Rádio Capital, no primeiro semestre deste ano, participando do programa “Capital da Bola”, que estreou em 7 de janeiro (foto). O falecimento de Juarez consternou seus companheiros de programa e todos os demais profissionais de rádio e televisão que trabalharam com ele e que admiravam seu talento, seu humor, sua ética, seu sempre refinado estilo crítico.

O velório será nesta quarta-feira, 24, a partir das 8 horas, no Cemitério da Consolação. Sepultamento às 16 horas.

Juarez Soares Moreira, ganhou o apelido de “China” por ter olhos puxados, parecidos com os de orientais. Jamais perdia a obrigação de ser claro ao transmitir informações e, ao mesmo tempo, recorrer à criatividade, com bom humor. Ele nasceu em São José dos Campos, na região do Vale do Paraíba, no Estado de São Paulo, em 16 de julho de 1941, tendo completado 78 anos na semana passada. Filho de Adolfo Soares Moreira e Josefina Soares Moreira, formou-se em Pedagogia na Faculdade Oswaldo Cruz, de São Paulo. Fazia mais de 30 anos que estava casado com a jornalista Helena de Grammont, que foi repórter especial da TV Globo. Deixa quatro filhos.

Em 1958, com 17 anos, Juarez começou a trabalhar na Rádio Cultura de Lorena, também no Vale do Paraíba. Transmitia jogos do campeonato da Segunda Divisão de São Paulo. Em 1961, mudou-se para São Paulo e foi aprovado em teste para trabalhar na Rádio Difusora, dos Diários e Emissoras Associados, de Assis Chateaubriand. Então, passou aos jogos da Primeira Divisão, ampliando sua paixão pelo Corinthians e formando uma excelente dupla de repórteres de campo com Otávio Pimentel. Também esteve nas Rádios Tupi e Gazeta. Em 1969, foi para a Rádio Globo/Nacional, a convite do grande narrador Pedro Luís, o então diretor de Esportes. Juarez Soares já havia passado também pelas rádios Tupi e Gazeta. Revelou-se também como escritor e poeta.

Juarez cobriu a Copa do Mundo de 1974, na Alemanha, pela Rádio Globo. No final daquela década e nos anos 1980, foi apresentador do revolucionário programa “Balancê”, ao lado do narrador Osmar Santos, na Rádio Excelsior, atual CBN. A seguir, chegou à TV Globo, atuando como repórter e comentarista esportivo até 1982, ano em que cobriu a Copa do Mundo na Espanha. Trabalhou ao lado de locutores que marcaram época, como o narrador Luciano do Valle e o repórter Ciro José.

Mais tarde, Juarez Soares também trabalhou das TVs Bandeirantes, SBT, Gazeta e RedeTV!, assim como na Rádio Record. De posições políticas bem definidas, ele se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT), tendo sido eleito vereador em São Paulo em 1988. Em seguida, a convite da prefeita Luiza Erundina (PT), eleita em 1989, passou a ser secretário municipal de Esportes e Lazer. Nesse cargo, ele foi um dos articuladores para trazer de volta a São Paulo o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, que havia sido levado para o Rio de Janeiro alguns anos antes.

De janeiro a junho deste ano, a presença de Juarez Soares ao microfone do programa “Capital da Bola” foi gratificante para os ouvintes e uma lição para os demais participantes dessa atração diária. Marcelinho Carioca, Anderson Cheni, Osmar Garraffa e Rafael Esgrilis, emocionados, renderam homenagem à memória do querido “China” ao abrir o programa desta terça-feira, às 18 horas. A primeira voz foi de Juarez, uma gravação em que é declamado um poema do próprio “China”, tendo como temas o passar do tempo e as despedidas.

O diretor Geral da Rádio Capital, Francisco Paes de Barros, que dirigiu as Rádios Globo e Excelsior nos anos 1970 e 1980, época em que conheceu Juarez Soares, lamentou o falecimento do grande jornalista, destacou a participação de “China” apresentando o “Balancê” na Excelsior e seu espírito de luta na equipe do “Capital da Bola”.

A tristeza tomou conta de toda a corporação da Rádio Capital. O diretor Artístico, Rogério Andrade, que costumava encontrar Juarez todas as tardes, antes de cada edição do “Capital da Bola”, afirmou que o “China” dava aulas de jornalismo e de história do futebol e do rádio, por meio de seus bate-papos na Redação e de seu trabalho ao microfone. Por sua vez, o coordenador de Jornalismo, Luiz Carlos Ramos, autor deste texto, companheiro de Juarez em várias coberturas esportivas nacionais e internacionais, resume: “Juarez era único. Um estilo próprio, que não deixa sucessores. Deixa apenas admiradores. E muita saudade.”



Legenda: Juarez Soares no Capital da Bola
Foto: Rádio Capital 



Áudio Pequenas Histórias de Vida disponível.


Tags: 
02/10 09:38: Outubro Rosa
Facebook Twitter Instagram YouTube Whatszap App Android App IOS
® 2019 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados