ENTRAR
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado
Volume

NOTÍCIAS - Arte e Lazer

Terça-feira, 27/11/2018 11:36
Por Luiz Carlos Ramos

O porquê dos 10 títulos do Palmeiras

Em 2010, o clube recebeu da CBF quatro títulos dos anos 1960




O Palmeiras mereceu ser, antecipadamente, o campeão do Campeonato Brasileiro de 2018, título garantido ao derrotar o Vasco por 1 a 0 no último domingo, no Rio, e sua torcida vai festejar na última rodada, no próximo domingo, num Allianz Parque lotado. Qualidades do time de Felipão à parte, muita gente estranha o fato de o Palmeiras ser agora anunciado como “decampeão brasileiro”. E quem vier a conferir a lista dos 10 títulos vai verificar que, num mesmo ano, em 1967, o Palmeiras foi campeão duas vezes (!!!).
Qual a explicação? Naquele ano o Campeonato Brasileiro foi realizado duas vezes? Não. Na verdade, o Brasileiro só foi criado em 1971, a partir da ampliação de antigos torneios interestaduais por parte da Confederação Brasileira de Desportos (CBD) – que daria origem à CBF.
No Campeonato Brasileiro, o Palmeiras soma 6 títulos, conquistados nestes anos: 1972, 1973, 1993, 1994, 2016 e 2018.
Os 4 outros títulos se referem a disputas dos anos 1960 e que foram oficialmente reconhecidos como títulos nacionais pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 22 de dezembro de 2010, numa cerimônia no Rio em que Pelé foi o convidado especial. Outro clube beneficiado foi o Santos, com o resgate de 5 títulos, que, somados aos 3 do Brasileiro, tem agora um total de 8, como segundo colocado no ranking, atrás apenas dos 10 do Palmeiras. O Corinthians tem 7, sendo 3 da Copa do Brasil, e o quarto lugar é dividido entre São Paulo e Flamengo, com 6.
Por que Ricardo Teixeira, presidente da CBF em 2010, decidiu homologar os antigos títulos do Palmeiras e do Santos como sendo equivalentes aos do Brasileiro? Porque ele recebeu um dossiê encomendado pelos clubes ao jornalista e escritor Odir Cunha, com um levantamento sobre os antigos torneios. Na verdade, os arquivos da CBF já tinham todos aqueles dados, mas o dossiê de Odir, funcionou como uma espécie de lobby para o dirigente, em época de baixo astral, enfrentando denúncias de corrupção, fazer a cerimônia dos novos (antigos) títulos, satisfazendo dois clubes e desagradando alguns outros. Odir, autor de vários livros, entre os quais um sobre a história do Santos, foi repórter do “Jornal da Tarde” e produtor de esportes da Rádio Globo na equipe de Osmar Santos.
Quais os torneios do passado que tiveram seus títulos transformados em Brasileiros? Os da Taça Brasil e os do Robertão.
Não confundir Taça Brasil, disputada de 1959 a 1968, e a Copa do Brasil, lançada em 1987 e mantida até a atualidade. A Taça Brasil havia sido criada com a participação dos campeões estaduais. O primeiro a conquistá-la foi o Esporte Clube Bahia. Em 1960, o campeão foi o Palmeiras, que havia sido o supercampeão paulista de 1959. Por causa desse título nacional, o Palmeiras ganhou direito de ir, em 1961, à Copa Libertadores da América, então restrita a apenas um clube por país. O time brasileiro chegou à decisão contra o Peñarol, do Uruguai, mas perdeu o jogo de Montevidéu por 1 a 1 e empatou no do Pacaembu por 1 gol, terminando vice-campeão.
Em 1967, o Palmeiras não só ganhou novamente a Taça Brasil como também tornou-se campeão do primeiro Robertão.
Robertão? O que é isso. Era o apelido do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o antigo Rio-São Paulo, depois da ampliação: os cinco clubes de São Paulo e cinco clubes do Rio ganharam a companhia dos mineiros Cruzeiro e Atlético, dos gaúchos Grêmio e Internacional e de um representante do Paraná, o Ferroviário, que nem existe mais. Tal torneio serviu de laboratório para a CBF, de João Havelange, finalmente lançar, em 1971, o Campeonato Brasileiro nos moldes do atual. O Palmeiras ganhou também o Robertão de 1969.
Bingo! Estão aí todos os 10 títulos. A rigor, não seria válido usar o termo hexacampeonato brasileiro, mesmo porque não foram 10 títulos consecutivos, mas, uma vez que a CBF, com Teixeira ou sem Teixeira, é a entidade oficial, aqui vai todo o nosso respeito ao Palmeiras, legítimo campeão de 2018 e, de fato, uma glória do futebol brasileiro.





Tags: 
® 2018 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados