CadastroENTRAR
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado
Volume
Áudios
App Android
App IOS
Facebook Capital
Instagram Capital
YouTube Capital
Whatsapp Capital

NOTÍCIAS - Cinema

Sexta-feira, 15/06/2018 13:39
Por Ana Paula Novaes

Filme com Sérgio Guizé e Fabrício Bolivieira pretende questionar o que é ser brasileiro

Confira na reportagem Ana Paula Novaes.

OUÇA





O diretor Willy Biondani com os atores Fabrício Bolivieira e Sérgio Guizé, e as produtoras Paula Cosenza e Denise Gomes
Foto: Ana Paula Novaes/Rádio Capital




Foi lançado no início desta semana em um hotel na zona sul da capital paulista o filme Além do Homem. O diretor Willy Biondani, que faz sua primeira incursão no comando de um longa metragem, e os atores Sérgio Guizé e Fabrício Bolivieira participaram de uma coletiva e conversaram com a imprensa sobre a proposta do filme.

O longa conta a história de Alberto Luppo, um escritor brasileiro que vive em Paris e que recebe a proposta de voltar ao país de origem para escrever sobre um antropólogo que teria sido devorado por uma tribo no interior do Brasil.

Contra sua vontade, ele volta e encontra diversos tipos excêntricos em seu caminho, enquanto viaja de encontro não só às suas raizes, mas também de si mesmo.

O diretor, Willy Biondani, destacou que o filme, que começou como uma comédia, acabou levantando uma série de questões filosóficas durante sua produção, que questionam qual é a identidade do brasileiro. “Ele começou como uma comédia, porque não há uma outra maneira melhor de fazer as pessoas pensarem do que através da comédia. E desde o começo ele já abordava questões filosóficas. Isso a gente encontra dentro da nossa própria identidade. Pra mim, a maior recompensa é se eu fazer alguém repensar a identidade brasileira. Talvez, devêssemos ser mais doces como eram nossos antepassados”, disse.

Até mesmo o título do longa, Além do Homem, faz referência à teoria do filósofo alemão Frederich Nietzsche sobre o Super-homem, que seria o modelo ideal para a humanidade.

Biondani ainda refletiu sobre o momento atual do país, de crise econômica, política e social, e acrescentou que gostaria que o filme tivesse impacto para mudar o cenário nacional. “Estamos abrindo mão deste poder que temos de criar utopias. Temos criado uma geração de brasileiros sem esperança”, disse.

Já o ator Sérgio Guizé, protagonista do filme no papel, destacou o processo de autodescobrimento pelo qual seu personagem passa. “Fiquei muito feliz em poder falar desse Brasil, que é o Brasil do afeto. Tivemos que ir mais pelo coração do que pela cabeça”, frisou.

Enquanto isso, Fabrício Bolivieira, que faz o papel de Tião, um tipo bastante parecido ao personagem Macunaíma, ressaltou o processo de criação do personagem. “É um mito de um brasileiro e fiquei tentando trazer várias versões dele para que pudesse acobertar muito do que sabemos dessas pessoas. Ele é o cara do mato, o Saci, a figura conectada com a natureza. É também o cara que pegou todos os espelhos do colonizador”, finalizou.

Os dois atores ainda enviaram mensagens aos ouvintes da Rádio CapitalO filme Além do Homem chega aos cinemas de todo o país no dia 28 de junho. Confira na reportagem de Ana Paula Novaes no áudio no topo da página. Basta clicar o botão play.






Tags: 


Fotos



Veja mais

Facebook Instagram YouTube Whatsapp App Android App IOS
® 2020 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados