ENTRAR
OUÇA A RÁDIO CAPITAL AO VIVO | AM 1040
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado

NOTÍCIAS - Exclusivas / Saúde

Quarta-feira, 16/05/2018 14:58
Por Ana Paula Novaes

Médica alerta que resistência contra vacinas é responsável por volta de doenças que estavam erradicadas

Confira na reportagem de Cid Barboza.

OUÇA





Regina Succi diz: "As vacinas são, sem qualquer sombra de dúvidas, o investimento em saúde com melhor custo-benefício"
Foto: Milton Michida/Governo do Estado de São Paulo





Campanhas de vacinação estão fazendo com que a população corra para os postos de saúde de todo país. O destaque são as ações contra a febre amarela e contra a gripe. No entanto, a vacinação em massa anda enfrentando problemas. Sobre este assunto, o repórter Cid Barboza conversou com Regina Célia Succi, Professora do Curso de Medicina da Faculdade da São Leopoldo Mandic.

Segundo ela, grupos da população têm apresentado resistência às vacinas, uma posição que é equivocada. “As vacinas são, sem qualquer sombra de dúvidas, o investimento em saúde com melhor custo-benefício. Entretanto, apesar de as vacinas terem sido capazes durante séculos de diminuir mortes, internações e sequelas graves de doenças infecciosas, mesmo assim, há grupos de pessoas que acreditam em duas coisas: primeiro, que não é necessário vacinar. Outro grupo acredita que a vacina pode trazer malefícios para a pessoa que recebe a vacina. Portanto, nós precisamos esclarecer o público de modo geral para que essas dúvidas sejam sanadas”, destaca.

O resultado desta resistência a imunização é o ressurgimento de doenças que pareciam já estar eliminadas no país, como sarampo, rubéola e até mesmo difteria. “As vacinas são vítimas de seu próprio sucesso. Como os médicos mais jovens não veem mais, não atendem mais crianças ou adultos com essas doenças, elas passam a ser pouco importantes. Se não vejo casos de poliomielite, por que preciso vacinar meu filho? Isso faz com que as pessoas esqueçam, gradativamente, a gravidade destas doenças”, afirma.

De acordo com a médica, a solução para este problema é a informação, segura e adequada. “O que precisamos fazer é divulgar a importância da vacinação e informar o público em geral que, se deixarmos de vacinar, nossos filhos e nós temos estaremos correndo risco de adoecer por doenças que nem lembrávamos mais que existiam”, frisa.

Regina Succi também alerta para os boatos espalhados nas redes sociais. “São divulgadas informações completamente erradas, mitos, inverdades, coisas que assustam as pessoas. Isso faz com que elas se afastem das vacinas. Minha recomendação é: consultem seu médico. Falem com o pediatra de seus filhos. Busque informações em sites seguros. As sociedades médicas têm sites, mostrando as vacinas e qual a importância de tomar. É aí que devemos buscar informações”, finalizam.

Confira mais nos áudios no topo da página. Basta clicar nos botões play.






Tags: 


Veja mais

® 2018 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados