CadastroENTRAR
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado
Volume
Áudios
App Android
App IOS
Facebook Capital
Twitter Capital
Instagram Capital
YouTube Capital
Whatszap Capital

NOTÍCIAS - Saúde / Exclusivas

Quarta-feira, 07/03/2018 15:40
Por Ana Paula Novaes

Estudo alerta para falta de informação sobre DSTs e contraceptivos entre as adolescentes

Confira na reportagem de Cid Barboza.

OUÇA





Sogesp fez um levantamento com médicos que atendem adolescentes de 13 a 19 anos.
Foto: Asscom-Sesa-ES





O Dia Internacional da Mulher é celebrado nesta quinta-feira, dia 8, e sempre há muitos aspectos para tratar com relação a este tema. A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp) fez um levantamento com médicos que atendem adolescentes de 13 a 19 anos.

De acordo com o estudo, feito com 849 especialistas, revela que 78,3% das adolescentes nesta faixa etária são sexualmente ativas. No entanto, apenas 42,3% destas meninas recebeu orientações sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

Sobre esta pesquisa, o repórter Cid Barboza conversou com Rossana Pulcineli Francisco, presidente da Sogesp. “Nós precisamos sempre ficar de olho nas nossas adolescentes, que são o futuro do nosso país, e, por isso, resolvemos tentar entender melhor o que acontece com elas, principalmente em relação às DSTs e ao uso de preservativos”, conta.

Segundo ela, a grande preocupação é que mesmo conhecendo os métodos anticoncepcionais e as doenças sexualmente transmissíveis, antes da primeira relação sexual, a maioria das adolescentes não recebeu orientação adequada. “O mais importante é que essa pessoas tenha acesso a uma informação correta, que pode vir da escola, de um médico ginecologista. É muito importante que a pessoa não procure o ginecologista somente na situação em que ela está com uma doença. Seria muito importante que estas adolescentes tivessem acesso a uma conversa aberta para poder tirar suas dúvidas”, diz.

A médica alerta também que o uso de preservativos entre as jovens é muito baixo. “Temos observado um aumento grande de sífilis e HIV em todas as faixas etárias e não é diferente entre as adolescentes”, acrescenta.

Confira a entrevista completa nos áudios no topo da página. Basta clicar os botões play.






Tags: 


Veja mais

Facebook Twitter Instagram YouTube Whatszap App Android App IOS
® 2020 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados