ENTRAR
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado
Volume

NOTÍCIAS - Mundo

Sexta-feira, 19/01/2018 15:19
Por Ana Paula Novaes

A Semana em Notícias: mesmo com paralisação dos metroviários, leilão concede linhas à iniciativa privada

Confira os principais destaques do período entre os dias 15 a 19 de janeiro de 2018.

OUÇA




Segunda-feira, 15 de janeiro de 2018


A cidade baiana de Itaberaba, onde o homem foi atendido inicialmente, vai reforçar a vacinação contra a doença
Foto: Bruno Concha/Secom


Um morador de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, e que estava internado no Hospital Couto Maia, em Salvador, com febre amarela, morreu no último domingo. Ele estava na cidade baiana de Itaberaba para visitar a família. Ele chegou ao município no dia 5 de janeiro, já com sintomas da doença. 

O rapaz havia passado réveillon em Itapecerica da Serra, também em São Paulo.

Inicialmente, o homem foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itaberaba, mas, Após a piora de seu quadro clínico, foi transferido para Salvador na terça-feira (9). 

Após exames, a febre amarela foi confirmada na quinta-feira (11). O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Central de Salvador. 

 

Terça-feira, 16 de janeiro de 2018



O Ministério Público pediu o afastamento MP pediu afastamento do cargo e bloqueio de bens do deputado estadual.
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil


O deputado estadual Fernando Capez , do PSDB, foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso conhecido como ‘máfia da merenda’. Além de Capez, mais oito pessoas foram denunciadas pela Operação Alba Branca. A máfia da merenda se trata da venda de produtos superfaturados de coorperativas agrícolas para fornecimento de merenda em escolas estaduais de São Paulo.

De acordo com a denúncia, foram desviados mais de R$ 1 milhão do estado, equivalente a 10% dos contratos. O dinheiro teria sido usado para pagar despesas da campanha do deputado em 2014.  

O Ministério Público pediu o afastamento MP pediu afastamento do cargo e bloqueio de bens do deputado estadual.

 

Quarta-feira, 17 de janeiro de 2018


Cidade realiza extensa campanha de vacinação de seus moradores
Foto: Antonio Márcio/ Prefeitura de Itaquaquecetuba


A Prefeitura de Mairiporã decretou, nesta terça-feira (16) estado de calamidade pública na saúde da cidade por conta da febre amarela. O objetivo da medida seria o de regulamentar a situação de excepcionalidade no município. 

As três mortes confirmadas pela doença na Região Metropolitana de São Paulo foram de pessoas que passaram pela cidade. No entanto, segundo informou a prefeitura, já seriam 11 os casos confirmados de febre amarela em Mairiporã, com seis mortes. 

Segundo a secretaria municipal de saúde da cidade, no total, foram feitas 50 notificações, que estão em investigação. 

Na terça-feira (16) a Organização Mundial de Saúde (OMS) passou a considerar todo o estado de São Paulo como área de risco para a febre amarela.

 

Quinta-feira, 18 de janeiro de 2018



Linhas 1, 2, 3 e 5 têm funcionamento apenas em alguns trechos
Foto: Diogo Moreira/A2 Imagem


Quem depende do transporte metroviário em São Paulo enfrentou dificuldades na manhã de quinta-feira (18). Isso porque, desde a os metroviários realizaram uma paralisação de 24 horas contra a privatização das Linhas 5-Lilás do Metrô e 17-Ouro do monotrilho. 

Durante todo o dia, o funcionamento foi apenas parcial nas linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás. Já a linha 15-Prata ficou completamente paralisada. A única a ter a operação normal foi a Linha 4-Amarela, que é operada pela iniciativa privada. 

O sindicato da categoria decidiu pela paralisação também em protesto contra o aumento das tarifas do transporte em São Paulo e contra a terceirização das bilheterias.


Sexta-feira, 19 de janeiro de 2018



O consórcio vencedor ficará responsável pela manutenção e a operação das duas linhas pelo período de 20 anos.
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil


Aconteceu na manhã desta sexta-feira (19) o leilão de concessão das linhas 5-Lilás do Metrô e 17-Ouro do monotrilho. A concorrência foi vencida pelo Consórcio Viamobilidade, formado pelas empresas Ruasinvest e Grupo CCR. O consórcio vencedor vai ficar responsável pela manutenção e a operação das duas linhas pelo período de 20 anos. 

O leilão foi realizado na sede da Bovespa, no centro de São Paulo. A Viamobilidade venceu a disputa após oferecer um lance no valor de R$553,88 milhões pela concessão, um ágio de 185%. Já o Consórcio Metrô de SP - formado pelas empresas CS Brasil e Metrô Seul - ofereceu R$ 388,5 milhões. 

O valor estimado do contrato de licitação é de R$ 10,8 bilhões.

Foto da capa: Reprodução/TV Globo



Tags: 


Veja mais

® 2018 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados