CadastroENTRAR
NO AR:
PRÓXIMA ATRAÇÃO:

Parado
Volume
Áudios
App Android
App IOS
Facebook Capital
Instagram Capital
YouTube Capital
Whatsapp Capital

NOTÍCIAS - Exclusivas / Saúde

Sábado, 05/08/2017 11:48 - Atualizado em 08/09/2017 13:08
Por Ana Paula Novaes

Aleitamento prolongado traz benefícios para o bebê

Confira a última parte da reportagem especial de Carla Mota sobre a Semana Mundial da Amamentação.







A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os bebês sejam amamentados até os dois anos de idade. Mas imagine só a situação de uma mãe, que está tentando fazer o desmame, mas que é perseguida por seu pequeno, querendo mamar?

Esse é o caso de Thays Fiore e seu segundo filho, Guilherme, de dois anos, que conversou com a repórter Carla Mota. Ela também é mãe de Alice, de seis anos. Para ela, esse processo tem sido um sofrimento. “Eu to ficando doida. Tento tirá-lo, principalmente nas mamadas da madrugada. Ele já tem dois anos. Não sei de onde ele tirou isso, mas ele diz: “mamãe, quero teta”. Eu não consigo dizer não. Da última vez que tentei tirá-lo, ele chorou por três horas e eu tive que dar, porque precisava dormir. Eu queria saber o que eu faço, se há uma forma mais fácil para tirá-lo da amamentação?”, questiona.

A pediatra Ana Paula Eyama concorda que é um momento difícil, mas ensina como agir. “Dá dó dizer não. A gente recomenda o aleitamento materno até os dois anos ou mais. Tem mulheres que amamentam crianças com três ou quatro anos. Não tem problema nenhum, se a mãe estiver disposta e isso não estiver atrapalhando a parte nutricional da criança. Ela pode conversar com a criança, que já entende bem com essa idade, que há horários”, frisa.

Por outro lado, há mulheres que preferem amamentar seus filhos por mais tempo. É o que acontece com a também pediatra, Ana Luísa Passos Dib, mamãe da Olívia. “Quando a minha filha nasceu toda a pediatria desabou em cima de mim. Senti na pele todas as aflições, questionamentos. Hoje ela está com um ano e sete meses, ela ainda mama no peito todas as vezes em que ela quer e eu estou perto. Eu ouço muito palpite, vejo olhares tortos. Ouço que nessa idade o leite não tem mais nutrientes, que ela está só ‘chupetando’ e já perdi as contas de quantas vezes expliquei os benefícios da amamentação prolongada. O bebê está mandando e não chupetando. O principal disso é que o bebê e a mãe devem estar bem”, relata.

A Semana Mundial da Amamentação vai acabar, mas o que não pode terminar é a consciência desse ato e o compromisso de oferecer ao filho o alimento mais importante. Confira as demais partes do especial sobre aleitamento materno abaixo.








Tags: 


Veja mais

Facebook Instagram YouTube Whatsapp App Android App IOS
® 2020 Rádio Novo Mundo Ltda - Todos os direitos reservados